Projeto Modelo de uma Horta Orgânica



1 – TÍTULO DO PROJETO
          Oficina de Horta Terapêutica do CAPS – I de Urussanga,SC.

2 – IDENTIFICAÇÃO TÉCNICA
2.1 – Coordenador Geral e Técnico: Elisa Mª R. Hille Enfermeira, Thiago Stopassolli Assistente Social ambos do CAPS, e Sr. Antônio Carlos F. da Silva (voluntário) Agrônomo;
2.2 – Parcerias: Centro de Atenção Psicossocial, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria de Obras e voluntários;
2.5 – Responsável pela elaboração do Projeto:
Elisa Mª R. Hille Enfermeira, Thiago Stopassolli Assistente Social ambos do CAPS, e  Antônio Carlos Ferreira da Silva (voluntário) Eng. Agrônomo;
2.6 – Local de Execução: O presente Projeto será desenvolvido junto às instalações do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS-I cito a Av. Presidente Vargas – 362 B: Centro, Urussanga-SC;
2.7 – Mão-de-obra: A implantação e condução de uma horta orgânica exige boa disponibilidade de mão-de-obra, com maior ou menor intensidade nas diferentes épocas do ano, dependendo da diversidade de cultivos. No caso específico, uma horta de 150 a 200m2 exigirá, 1 a 2 horas diárias de voluntários do CAPS e outros voluntários, na condução, após a implantação. Outras pessoas interessadas em aprender, na prática, como implantar e conduzir uma horta orgânica serão convidadas a participarem do projeto. Os princípios básicos da agricultura orgânica serão todos utilizados na horta orgânica. Dentre estes se destacam: adubação orgânica (composto orgânico e estercos de animais curtidos), adubação verde, cultivo mínimo, plantio direto, manejo de pragas e doenças com produtos alternativos sem riscos ao meio ambiente, rotação e consorciação de culturas, entre outros.
3 - JUSTIFICATIVA
Em todas as classes da sociedade, em todas as regiões do mundo há pessoas com algum tipo de deficiência mental, variando tanto quanto as causas como quanto as conseqüências. Essas variações resultam das circunstâncias sócio-econômicas e de medidas que os países adotam quanto ao bem estar dos cidadãos (PITTA, 2001). De muitas maneiras, ela reflete as condições gerais de vida e as políticas sociais e econômicas de diferentes épocas. Uma nova política de Saúde Mental, desencadeada a partir do processo de Reforma Psiquiátrica, vem sendo discutida e gradualmente implantada no cenário da Saúde no Brasil (SARACENO et al., 2001). Dentro do projeto geral está a proposta de criação de oficinas terapêuticas. Elas constituem-se em um importante espaço de tratamento, pois estimulam a capacidade de produção, de convivência e interação grupal.
No contexto da reforma psiquiátrica, a terminologia “oficinas terapêuticas” tem se firmado, em particular, a partir da década de 90, muitas vezes, tem designado um conjunto de práticas diversas desenvolvidas nos novos serviços de Saúde Mental. A oficina constitui hoje, uma ferramenta importante na clinica de saúde mental e, por não estar totalmente atrelada aos paradigmas técnicos e também por não ser um modelo homogêneo de intervenção, é, atualmente, um instrumento que comporta inúmeras invenções.
As oficinas terapêuticas surgem num processo que visa restabelecer a cidadania da pessoa com transtornos mentais através da desconstrução do modelo asilar de atenção à saúde mental. Dessa forma, as oficinas passam a exercer papel primordial, tanto como elemento terapêutico quanto como promotoras de reinserção social, através de ações que envolvem o trabalho, a criação de um produto, a geração de renda e a autonomia do sujeito. Uma oficina se torna terapêutica de fato, quando dá ênfase na relação terapeuta-paciente, na importância do pertencimento a um grupo, na convivência e na comunicação com o outro. Para isso, o usuário deve ser sujeito do processo, criar autonomia no pensar, ter capacidade de planejar o próprio trabalho e participar do processo de gestão.
Ao produzir uma oficina, deve-se ter em mente que o mesmo se torne um espaço de criação, expressão, produção, transformação, humanização, experimentação, socialização e convivência, operando-se mudanças subjetivas na representação social da pessoa, na diminuição do índice de uso de medicamentos, na ordenação do dia-a-dia do individuo e na adesão ao tratamento. De suma importância também é, respeitar e entender o sujeito/individuo como um todo, que possui uma história de vida, dentro de um contexto social dinâmico e complexo.
A presente proposta da Horta Terapêutica¹ tem como objetivo a construção coletiva de um espaço agroecológico que viabilizem diversas atividades de educação ambiental voltada para a prática da terapia ocupacional com os usuários da saúde mental desenvolvendo a relação com os espaços (canteiros), e o aprendizado de noções básicas de ecologia.
Atividades desta natureza são adotadas por diversas instituições e órgãos que tratam de pacientes portadores de sofrimento mental grave no auxílio a este tratamento. Busca-se assim, propiciar aos pacientes uma atividade auxiliar em seu tratamento e uma fonte de alimentação de qualidade2.
Sendo assim, um dos objetivos deste trabalho é o de auxiliar no tratamento de portadores de sofrimento mental grave e na melhoria da qualidade alimentar dos pacientes, por meio dos produtos produzidos no projeto através de um sistema orgânico, que consiste basicamente na não utilização de agroquímicos3.
Tal projeto busca auxiliar no tratamento de pacientes portadores de sofrimento mental grave, por meio de terapia ocupacional em atividades relativas à produção em uma horta de pequeno porte, como a confecção de canteiros, plantio, adubação, capina e colheita. A realização dessa atividade viabiliza a expressão, a espontaneidade, o conhecimento das potencialidades e das limitações dos pacientes e promove o desenvolvimento em diversos aspectos (emocional, social, intelectual e físico), possibilitando que o paciente adquira maior grau de independência e autonomia (ARRUDA, 1962).
Salientamos a necessidade da abertura deste projeto a participação de voluntários que tenham interesse em auxiliar-nos e levar conhecimentos a mais para o grupo.
1 Sugestão de algumas hortaliças para serem cultivadas na horta orgânica: alface, cenoura, beterraba, repolho, couve, espinafre, couve-flor, couve-brócoli, pepino, temperos (cebolinha verde, salsa, coentro, orégano, manjerona), rabanete, chicória, ervilha torta, almeirão, feijão-vagem, abobrinha caserta, rúcula, tomate cereja, pimentão, pimenta, alho, batata-doce, milho-verde.   Sugestão de plantas medicinais e aromáticas: sálvia, hortelã, arruda, alfavaca, cavalinha-do-campo, losna, camomila, capim-limão, guaco, alecrim, manjericão, poejo, funcho.
2  As hortaliças são ricas em vitaminas (A, B, C, E e K) e sais minerais (cálcio e ferro), com bom teor de proteína e fibras, além de outras virtudes dietéticas e até terapêuticas. A vitamina A é essencial para a saúde dos olhos, pele, dentes e cabelos, atuando sobre o crescimento e aumentando a resistência do organismo às doenças; a vitamina B estimula o apetite, auxilia no crescimento, facilita a digestão, ajuda no funcionamento normal dos nervos e fortalece a pele e os cabelos; a vitamina C é fundamental para aumentar a resistência do organismo às infecções, principalmente aos resfriados; a vitamina E é importante para prevenir distúrbios cardiovasculares e neurológicos, além de acelerar a cicatrização de ferimentos e aumentar a fertilidade; a vitamina K é essencial para biossíntese de vários fatores necessários para a coagulação do sangue e para a mineralização dos ossos.  Os sais minerais, como o cálcio é essencial para a formação de ossos e dentes e, o ferro que faz parte do sangue, participa na dieta alimentar diária prevenindo a anemia.  As proteínas, essenciais para formação e renovação dos tecidos, controlam o crescimento, a digestão, a absorção, o transporte, a manutenção da pressão e a formação de anticorpos para defesa das doenças.  Os carboidratos são responsáveis pela energia e pela força para as atividades mentais e para o trabalho. As fibras são importantes para regular a digestão e para prevenir doenças como diverticulite, arteriosclerose, apendicite, varizes, hemorróidas e certos tipos de tumores intestinais, além de auxiliar no controle das taxas de colesterol e glicose.
      Pesquisas realizadas no mundo inteiro comprovam a grande diferença entre o alimento orgânico e aquele produzido de forma convencional, ou seja, com adubos químicos e agrotóxicos. Os produtos orgânicos, além de possuírem maior teor de vitaminas e sais minerais, apresentam melhor sabor e conservação e ainda possuem menor custo de produção.
 3A natureza foi à primeira farmácia da humanidade. Por isso, no planejamento da horta deve-se reservar espaço para as principais espécies de plantas medicinais. As plantas medicinais proporcionam ao organismo humano sais minerais, ajudam a eliminar toxinas, limpando o sangue de impurezas e tonificando o estômago, os intestinos, os rins e o coração. Além de terem propriedades terapêuticas, algumas são utilizadas no manejo de pragas e doenças de hortaliças.
     Além da importância das hortaliças orgânicas na nutrição e das plantas medicinais na saúde das pessoas, a ocupação do tempo na implantação e condução de uma horta é essencial para que as pessoas se sintam úteis e melhorem a auto-estima. O contato com plantas funciona muito bem como terapia ocupacional. O fato de preparar o solo, semear, observar o crescimento colher e consumir hortaliças frescas, saudáveis e saborosas, bem como plantas medicinais, sem agroquímicos, é uma experiência fantástica e, o mais importante, sem riscos ao meio ambiente, ao trabalhador e consumidor.
 O cultivo de uma horta orgânica melhora a qualidade de vida das pessoas, pois além de garantir alimentos saudáveis, nutritivos e saborosos mais baratos, previne e até cura doenças, educa, ocupa e, quando implantada com prazer, proporciona lazer e exercícios ao ar livre.  No mundo inteiro existe atualmente uma preocupação dos consumidores em relação a qualidade dos alimentos. Há uma conscientização de que muitos problemas de saúde poderão ser evitados se for consumido alimentos livres de resíduos químicos. Cresce, também, a consciência de que devemos praticar uma agricultura integrada com a natureza e que preserve os recursos naturais.
     O cultivo orgânico é um sistema de produção agrícola ecológico e sustentável, baseado na preservação e no respeito a terra, ao meio ambiente e ao homem. Este sistema é centrado no ser humano e a base da sustentabilidade é o solo. Praticar agricultura orgânica ou com base agroecológica é, além de tudo, um novo modo de pensar e de se relacionar com as pessoas e com a natureza. O cultivo de uma horta orgânica é uma forma natural de produzir hortaliças e plantas medicinais, utilizando-se práticas culturais adequadas, sem uso de agrotóxicos, adubos químicos, sementes transgênicas, antibióticos e outros produtos prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente. Cultivar no sistema orgânico significa fazer as pazes com a natureza, protegendo os recursos naturais (solo, água, flora e fauna) e as futuras gerações, restaurando a biodiversidade e preservando a diversidade biológica, que é a base de uma sociedade equilibrada.


4 – OBJETIVO GERAL
Proporcionar o relaxamento através do contato com a terra e a natureza e o prazer de produzir hortaliças que serão utilizadas nas refeições diárias dos usuários e oportunizar atividades de cultivos de plantas, estimulando assim o desenvolvimento de responsabilidade por parte dos participantes.

5 – OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ø  Estimular o contato com a terra e a produção no sistema orgânico de hortaliças, vegetais e plantas medicinais através da implantação de horta terapêutica;
Ø  Contribuir para a formação de hábitos alimentares mais saudáveis;
Ø  Incentivar o processo de construção e manutenção de hortas domésticas em sistema orgânico através;
Ø  Proporcionar o trabalho terapêutico e interação em equipe;
Ø  Estimular a valorização pessoal e social através do trabalho, bem como, o voluntariado e o envolvimento dos pacientes para a condução da horta;
Ø  Tornar o serviço referencia a nível comunitário das técnicas de produção de hortaliças no sistema orgânico;
Ø  Resgatar junto à comunidade o habito de produção de alimentos para auto-consumo.

6 – METODOLOGIA
     Para obter-se sucesso no cultivo orgânico de uma horta o solo deve ser equilibrado em nutrientes. Por isso, é necessário em primeiro lugar conhecer a fertilidade do terreno através de análise química do solo. Com base nesta análise recomenda-se a adubação orgânica e se necessário, a correção da acidez do solo.
     Para a implantação da horta serão levantados os canteiros (1,10m de largura) com madeiras rústicas (20 a 30 cm de largura) utilizadas em construção, deixando-se caminhos de 0,5m de largura entre eles, para facilitar o deslocamento dentro da horta. Após a adubação orgânica e calagem, com base na análise do solo, será feito o revolvimento do solo com pá de corte e incorporação do adubo (esterco de animais).
Espécies: as hortaliças a serem semeadas ou transplantadas em canteiros serão as seguintes: Alface, Cenoura, Beterraba, Repolho, Couve, Espinafre, Couve-brócoli, Couve-flor, Pepino, Temperos (cebolinha verde, salsa, coentro, orégano e manjerona) Rabanete, Chicória, Ervilha de vagem, Radiche (almeirão), Feijão-vagem, Abobrinha de moita, Rúcula, Tomate Cereja, Pimentão, Pimenta, Alho e Milho-verde.
Algumas plantas medicinais e aromáticas a serem plantadas, além de auxiliarem na melhoria da saúde das pessoas, servirão para auxiliar também no manejo de doenças e pragas. As plantas medicinais sugeridas são: sálvia, hortelã, arruda, alfavaca, cavalinha-do-campo, losna, camomila, capim-limão, guaco, alecrim, manjericão, poejo e funcho.

7 - CRONOGRAMA
Conforme previsão inicial, a  implantação e manutenção da horta requer 40 horas / mês, perfazendo um total de cerca de 2 horas diárias  quando o CAPS estiver em funcionamento.

8– Orçamento inicial para implantação da Horta Orgânica (200m²)
Necessitará o presente projeto, para sua implantação e manutenção os materiais, conforme descrição abaixo, perfazendo-se, desta forma, uma previsão orçamentária no valor de R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais), necessários em investimentos para a compra dos materiais abaixo relacionados


:
9 – Previsão orçamento de materiais e equipamentos necessários para a manutenção da horta (200m2)

13 comentários:

Ana Maria Pinho disse...

Maravilhoso Projeto..estava pesquisando sobre o tema e adorei!Obrigada por dividir esta experiencia com todos.

star disse...

GOSTEI DESSE PROJETO.MUITO BOM!ESTOU PESQUIZANDO ,SOBRE HORTA CASEIRA E ORGANICA, EM ESPAÇOS PEQUENOS. OBRIGADA!!!

Anônimo disse...

adorei

JANET MARTINS S CRUZ disse...

Agradeço por desponibilizar estas informações. Estou orientando pequenos agricultores em projeto de assentamento.

Ferreira disse...

Agradeço todos os comentários. Fico feliz em ser útil e, o mais importante, contribuir para a preservação do meio ambiente e melhorar a qualidade dos alimentos produzidos.

Anônimo disse...

muito legal esse projeto...
Obrigada por divulgar...Preciso lhe pedir uma informação, por favor,...Minha região é muito fria...tem necessidade de fazer coberturas em cima dos canteiros???? Já fiz os canteiros e fiz a horta, mas as verduras não vingaram...Será por causa do frio?????? Muito obrigada...

Ferreira disse...

Obrigado pelo incentivo!

Para responder sua pergunta, preciso saber sobre o clima de sua região, especialmente sobre as temperaturas médias, mínimas e máximas, bem como a altitude. Algumas espécies de hortaliças são mais adaptadas para temperatuas amenas e frias, enquanto outras para o calor. Também, dentro de cada espécie, existem variedades que foram adaptadas para diferentes climas.

Anônimo disse...

há um bom tempo que estava planejando uma horta para minha escola, essa pesquisa serviu como ponto de partida. obrigado pelas informações, agora é por em prática.

Janderlei A. da Cruz disse...

Este tipo de trabalho que estou pesquisando como referência para eu iniciar um deste tipo em meu município. Sou morador do município de Barcelos-Am, e estou pretendendo implantar um projeto social para pessoas que são usuários de drogas.

Anônimo disse...

Trabalho em um município do Maranhão, rico em todos os tipos de bens naturais, no entanto pobre em conhecimento e motivação para produzir, adorei encontrar essa riqueza de conhecimento. aproveito a oportunidade que esse tipo de socialização de conhecimento pode salvar muitas vidas. te desejo sucesso e muita luz,,,,,,

Ferreira disse...

Fico muito contente em saber que o projeto é de grande utilidade. Este tipo de comentário serve de estímulo, para que eu possa melhorar cada vez mais as matérias postadas no blog e assim contribuir um pouquinho para a preservação do meio ambiente e melhorar a alimentação da população.









Taiê disse...

Demais...compartilha mais conosco.

Dalila disse...

o Projeto é digno de apreciação Pública- parabéns !

Postar um comentário

Contador

Tempo

Tecnologia do Blogger.
 

Objetivos!

Com o objetivo principal de divulgar os conhecimentos adquiridos, baseados nas pesquisas realizadas na Epagri/Estação Experimental de Urussanga em Santa Catarina, nas consultas bibliográficas e, na experiência adquirida nos 32 anos de vida profissional como pesquisador da Epagri na área de hortaliças, estamos colocando este blog à disposição dos interessados. Outros objetivos são: intercâmbio e socialização de informações relevantes sobre agricultura orgânica.

Free CSS Template by CSSHeaven.org TNB